O consumo exagerado do sal na dieta dos brasileiros

Por: Tâmara

21 de maio de 2012 10:30 | Dicas da Nutricionista

Nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa e presente em todos os lares brasileiros, o sal é considerado o aditivo alimentar mais antigo do mundo. Além de aumentar o sabor ele equilibra a acidez e o amargor. Composto por sódio e cloro, existem no mercado diversas variedades de sal disponíveis para o preparo de alimentos.

O mais comum, o sal de cozinha, é processado para remover impurezas e após refinado perde grande quantidade de minerais. Por este motivo é acrescido de iodo. O mais recomendado é o sal marinho, obtido através da evaporação da água do mar o que o torna mais puro. Este sal não passa pelo processo de refinamento e por isso mantém os micro minerais que no sal de mesa são eliminados. Geralmente sua tonalidade é mais escura e seu sabor é menos salgado que o do refinado.

Em média, os brasileiros ingerem 12g de sal por dia. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o recomendado seria 2g (pouco mais de uma colher de chá) por dia. Especialistas pedem cautela e atenção da população para os riscos causados por este consumo em excesso do sal.

Ao se consumir em excesso, o sal leva a uma retenção de líquido que consequentemente aumenta o volume de sangue nas artérias. Este desequilíbrio faz com que o coração acelere os batimentos provocando a famosa hipertensão, acidentes vasculares cerebrais (AVC) e infartos. Quanto mais as pessoas abusam do sal, mais alteradas ficam as funções da artéria carótida, como elasticidade e rigidez, explicando os problemas cardiovasculares também advindos do consumo em excesso.