Pimenta protege o coração e ajuda a dieta

Por: Tâmara

20 de agosto de 2010 22:14 | Alimentos de A a Z

Quanto mais ardida ela for, maior seu poder de ação contra doenças.

Pimenta

Conhecidas por seu poder afrodisíaco e gosto ardido, as pimentas fazem o maior sucesso no prato dos brasileiros e, vira e mexe, aparecem como protagonistas de mais um novo estudo sobre seus benefícios para a saúde. Além de melhorarem a digestão, elas protegem o organismo contra alguns tipos de câncer e fazem seu corpo queimar gordura, reduzindo os níveis de colesterol. Porém, quando consumidas em excesso, podem comprometer a saúde do aparelho digestivo.

“A pimenta tem muitas vitaminas e antioxidantes importantes para o organismo, mas quem tem problemas de gastrite ou úlcera deve tomar cuidado ao consumi-la, pois, uma pequena dose da fruta pode irritar ainda mais as paredes do estômago ou intensificar os sintomas da hemorróida”, explica a nutricionista da Unifesp Carla Fiorillo.

Vitaminas A e C na medida certa – Segundo o médico homeopata Marcio Bontempo, autor do livro Pimenta e seus Benefícios à Saúde, além de ter princípios ativos como capsaicina e piperina, a fruta é muito rica em vitaminas A, E e C, ácido fólico, zinco e potássio.  Tem, por isso, fortes propriedades antioxidantes e bioflavonóides – pigmentos vegetais que previnem o câncer. Graças a essas vantagens, a fruta já está classificada como alimento funcional, o que significa que, além de seus nutrientes, possui componentes que promovem e preservam a saúde.

Queima gordura? – Um estudo realizado por cientistas do Centro de Ciências Alimentícias de Wageningen, na Holanda, revelou que a capsaicina (responsável pelo ardor da pimenta) seria bastante eficaz no processo de emagrecimento porque formaria uma espécie de bolsão energético durante as refeições onde parte da energia ingerida ficaria armazenada para ser gasta mais tarde, assim o corpo, abastecido, não sentiria fome.

Colesterol zero – Como a capsaicina ajuda a queimar gordura do corpo, diminui os níveis de colesterol ruim (LDL) do sangue e evita o acúmulo de gordura na parede das artérias, protegendo o organismo das doenças cardiovasculares. Uma pesquisa da Faculdade de Nutrição da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, com ratos, comprovou que a pimenta diminui mesmo o risco de doenças cardiovasculares, maior causa de mortes no Brasil.

“Ainda falta determinar quanto é necessário consumir para que a pimenta traga todos esses benefícios. O que se sabe é que o brasileiro a come muito pouco. Na Tailândia, por exemplo, ela é a estrela das receitas simples e sofisticadas. Lá, o consumo chega a dez gramas por dia. No Brasil, não passa de meio grama por pessoa”, explica Márcia Keller Alves, nutricionista que fez parte da equipe de pesquisa.

Quanto mais ardida melhor – A capsaicina é o princípio ativo responsável pelo ardor que sentimos quando comemos a pimenta. Além de conter antioxidantes poderosos na ação contra os radicais livres, ela eleva a temperatura do corpo auxiliando na redução do colesterol e na queima de gordura.  “Esta substância eleva a temperatura do corpo,  acelerando o metabolismo e a quebra de gordura e, por isso, auxilia no emagrecimento. Porém, para se obter resultados expressivos é preciso ingerir grande quantidade da fruta, senão não funciona”, explica Carla Fiorillo.

Fonte:  Para ler a reportagem completa, disponível no Portal Minha Vida, acesse:

http://www.minhavida.tv/conteudo/11436-Pimenta-protege-o-coracao-e-ajuda-a-dieta.htm